Como um Bom Método para Tomar Notas em Sala de Aula Melhora o Seu Desempenho Acadêmico?

Por que é importante tomar notas durante o aprendizado?

A maior parte das pessoas costuma achar que tomam notas para recordarem o que foi discutido, mas a função de uma nota vai além disso. Ao anotar, selecionamos cautelosamente a informação que está sendo exposta, e registramos essas informações de acordo com a nossa compreensão de como aquele novo conhecimento se ancora com conhecimentos que já aprendemos anteriormente — armazenados na nossa memória de longo prazo. Portanto, não necessariamente anotamos para ler depois, mas para dialogar com o que está sendo discutido e estabelecer um elo cognitivo com o assunto. Tomar as notas com um bom método pode ampliar sua eficiência de estudos e fará com que você não precise mais retornar ao material original — como veremos adiante.

Oroboros: Ao final somos inclinados a compreender para anotar & anotar para compreender.

Alguns alunos dispõem de um computador para tomar suas notas. Como ponto positivo, o registro por digitação é mais rápido do que o manual. Contudo existem algumas disciplinas em que o uso manual é mais vantajoso, pois envolvem um grande número de fórmulas, como matemática, física, química, etc. Em particular eu costumo me sentir mais livre e criativo tomando notas à mão, e posteriormente as reescrevo no computador ou as digitalizo. Mas fique à vontade para escolher o que for mais conveniente para o seu caso.

LEIA TODA A POSTAGEM E GANHE UM BRINDE EXCLUSIVO AO FINAL!

Resumidamente, podemos elencar que as funções das anotações são:

  • A função mais citada pelos estudantes: armazenar conteúdo para que não haja uma limitação apenas em relação à nossa própria memória. Além de releituras, essas notas permitem reescritas e complementações de informação. O importante é estabelecer relações de forma clara, traçando um caminho que o auxilie até a compreensão (produção de sentido).
  • Lembre-se que as notas — quando feitas adequadamente — irão dispensar a necessidade de consultar as fontes de materiais originais (livros-texto, slides, registros de áudios, vídeo, etc). Será uma forma mais curta, direta e personalizada para a sua compreensão, que leva em consideração analogias e conhecimentos prévios os quais só você tem. A nota não precisa fazer sentido para ninguém além de você. E até por isso não é tão eficiente revisar assuntos por meio de notas de outras pessoas.
  • Mais do que revisar, a elaboração das notas proporcionam a você uma reflexão sobre o assunto enquanto ele é exposto pelo professor. Tomar notas apoia os processos de compreensão, classificação e organização das ideias.
  • Como você está escrevendo enquanto alguém fala, a limitação imposta de tempo impede que você se concentre em aspectos pouco relevantes e o mantém mais atento. Ou seja, existe obrigatoriamente uma seleção do que realmente importa do conteúdo.
  • Ainda que você não revise suas notas posteriormente, no processo de elaboração, há uma subsequente memorização da informação.

Não anote pouco, mas não anote demais. Na dúvida, anote. E use sempre abreviações.

Quem disse que anotar nos livros é sinal de vandalismo? A maior reverência que você pode prestar a um livro é exauri-lo com comentários e marcações. Torne seu livro um item consumível!

Mas então por que as instituições de educação não ensinam métodos de anotação de sala de aula a fim de assegurar um melhor desempenho de estudantes?

Apesar das pesquisas sobre as influências do processo de anotações sobre o aprendizado estarem presentes na área de psicologia da educação desde a década de 1970, poucos professores têm conhecimento de que tomar notas é tanto uma ferramenta de aprendizagem quanto uma versátil estratégia pedagógica.

Considera-se a prática de utilizar anotações uma ponte para o conhecimento e uma porta de entrada para o mundo da escrita, devendo ser estimulada e explorada pedagogicamente, pelos professores, pelos livros didáticos e nas avaliações, em todas as disciplinas.
Andréa Moraes & Larissa Cavalcanti (2017)

Então, me diz aí! Qual método de anotação você usa?

“Vozes da minha cabeça…” ôO

Sim! Surpreendentemente essa é a resposta que mais costumo ouvir dos alunos! A maior parte sequer já ouviu falar de que existem métodos — chamados métodos não-lineares — para tomar notas. E cada um deles possui vantagens e desvantagens. Vamos nos ater a apenas três deles.

  • Topicalização (outline)
    O mais instintivamente conhecido. Você nomeia subtópicos e elenca — através de bullet points — os detalhes referentes aquele subtópico. A indentação permite claramente distinguir entre o que é secundário e o que é principal.
  • Mapas Mentais
    É o método mais visual, e possui suas próprias características. Você pode saber mais sobre ele clicando aqui.
  • Cornell
    Acredito que seja o método mais eficiente para a maioria dos estudantes, pois possui grande utilidade no processo de revisão, entre outras coisas. Vamos aprofundá-lo!

O Método Cornell para Tomar Notas

Antes de falarmos no método, vamos tratar de algumas coisas que você deveria fazer antes da aula acontecer para turbinar a eficiência das suas notas.

  • Revisar a nota anterior — da última aula — por 5–10 min.
  • Usar entre 5–10 min para ter uma visão geral do capítulo que você irá estudar. Além disso, esteja familiarizado com os tópicos e palavras-chave ou termos desconhecidos utilizados no livro-texto.

Mas e se eu usar anotações obtidas de um colega de sala?
Anotar e revisar conjuntamente é mais eficiente do que apenas anotar ou apenas revisar a anotação de outra pessoa. Lembre-se que revisar é apenas uma das muitas funções da atividade de tomar notas.

O método é bem simples, e além do cabeçalho, com data, disciplina e assunto, é composto pelos campos a seguir:

  • Área Principal (lado esquerdo): registre as ideias principais, perguntas que potencialmente seriam cobradas numa avaliação e palavras-chave que precisam ser compreendidas.
  • Detalhes (lado direito): explicações, datas ou nomes de pessoas importantes, definições, exemplos, fórmulas, diagramas e figuras.
  • Resumo: Aqui você deve tentar resumir — em três pontos, por exemplo — quais foram os aprendizados mais relevantes da aula, em suas palavras.

Embora as notas sejam um registro material, elas visam primordialmente ancorar o conteúdo exposto para dentro da sua memória de longo prazo (registro imaterial). As notas são principalmente um veículo de auxílio para a sua compreensão e memorização. Devemos ter sempre em mente o resultado final: o que será testado não será a qualidade das suas notas, mas o conhecimento que está na sua cabeça.

Dez dicas úteis:

  1. Evite usar mais do que duas cores, ou utilize apenas uma caneta/lápis e um marca-texto (para sublinhar as partes mais relevantes). Usar muitas cores diferentes retarda o processo de escrita.
  2. Use e abuse das abreviações, símbolos, códigos e etc. Tudo aquilo que pode acelerar seu processo de escrita é válido, desde que ao final o texto esteja compreensível para você.
  3. O que o professor repete com frequência, enfatiza, ou até mesmo, diz explicitamente que é importante deve ser registrado e destacado.
  4. Use a “área principal” para complementar informações quando necessário. E você sempre pode usar alguns poucos minutos ao final da aula para revisar e melhorar a nota.
  5. Na medida em que o professor está expondo o conteúdo, mantenha-se sempre se perguntando quais perguntas poderiam ser cobradas numa avaliação. Nem todos os professores irão colocar as perguntas de maneira explícita, então é preciso se manter atento para formulá-la. Registre essas perguntas no campo “área principal” da nota. Quanto mais a pergunta explorar diferentes aspectos e subtópicos do que está sendo exposto, de maneira a englobar um bom nível de compreensão geral do assunto, melhor. Caso não consiga formular a pergunta na hora, deixe um espaço em branco até que consiga registrá-la posteriormente.
  6. Se você registrou muitas perguntas, a nota ganha um papel ainda mais eficiente para a revisão. Basta você usar uma folha para esconder a área “detalhes”, e tentar responder às perguntas antes de conferir as respostas. Essa técnica é chamada de “flashcards”, e falaremos sobre ela futuramente.
  7. Não é estritamente necessário que as notas sejam visualmente atraentes. E você sempre pode passar elas a limpo, o que por si só é um processo de revisão, e uma oportunidade para melhorar o que foi elaborado e/ou complementar mais informações.
  8. Caso esteja acompanhando informações que estão sendo expostas em slides, certifique-se que você pôs mais informações na sua nota do que o que está colocado nos slides.
  9. Você também pode anotar qual parte do livro-texto está relacionada com a nota que está sendo registrada, ou até mesmo indicar na nota fontes de materiais extra que poderão complementar as informações que foram expostas em sala.
  10. Use uma pasta e/ou fichário para classificar e armazenar suas notas. É importante que sejam fáceis de serem encontradas quando for a hora.

E mais…

Mostre as suas notas para que o professor faça uma análise logo no início da disciplina. A maior parte dos professores irá encarar isso de forma elogiosa, e terão prazer em apontar os pontos-chave que não foram registrados ou relações que possam ter sido registradas incorretamente. Isso irá auxiliar você a calibrar sua técnica pelo restante do período.

No caso de aulas mais técnicas, com muitas fórmulas matemáticas ou programação, é aconselhável que você ao invés de voltar sua atenção às perguntas-chave, volte sua atenção para registrar o maior número de exemplos de problemas possível.

A gente costuma achar que entendeu algo quando pensamos sobre, mas a gente só realmente sabe se entendeu algo, quando escrevemos sobre ele ou o explicamos a uma outra pessoa.

Cornell é mais eficiente quando estamos lidando com um professor mais organizado, ou seja, que apresenta os tópicos do assunto numa sequência didática e mais lógica. Também não recomendamos esse método quando a aula é sobre um debate entre todos os participantes, uma vez que as ideias irão surgir de uma forma aleatória.

O que o professor não deve fazer de forma a não prejudicar as anotações dos alunos?

  • Aulas com muita densidade informativa. 😢
  • Falar em alta velocidade. 😭
  • Passar slides com conteúdo relevante com muita rapidez. 😒
  • Fazer uso de um vocabulário com um nível de complexidade alto para o público-alvo. 😩

Como docentes devemos conscientizar sobre a importância da prática de anotar & incentivar a sua prática recorrente.

Conclusão

Tomar notas é uma ferramenta poderosa que aumenta nossa atenção, engaja nossa compreensão, e reforça nossa memorização. Também pode melhorar significativamente nosso desempenho acadêmico, principalmente quando usamos nossas notas combinadas com procedimentos de revisão de conteúdos. Além disso, comprovadamente, o uso das anotações em sala de aula constitui uma versátil estratégia de aprendizagem.

--

--

--

Quando sonho às vezes me lembro de como voar.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Rafael Moraes

Rafael Moraes

Quando sonho às vezes me lembro de como voar.

More from Medium

Time Is Dead: A Review of Shin Megami Tensei V

My Key Takeaways From Dalton Caldwell and Michael Seibel

My Takeaways from Cagt’s Guide to Being a TO

Francis Bacon · a contemporary bestiary

Francis Bacon · a contemporary bestiary